Os aplicativos de bancos são úteis, mas nem tão seguros assim. Descubra o que pode acontecer com quem não se protege

Cansados da burocracia bancária ou conectados demais para se dirigir a uma agência, fato é que os correntistas dos principais bancos do Brasil estão esvaziando as enormes filas encontradas nesses locais graças ao acesso facilitado à internet. Além das filas, a localização, o horário de funcionamento e a vagarosidade das agências bancárias não são nada atraentes para o público.

As próprias instituições financeiras então cientes dessa ineficácia e, visando satisfazer seus clientes, já oferecem soluções que estão a qualquer momento a apenas um toque de distância na velocidade de conexão do celular do usuário: são os aplicativos bancários.

Quase todas as tarefas que seriam realizadas presencialmente podem ser feitas via smartphone, exceto, sacar dinheiro, por enquanto. A promessa, no entanto, parece boa demais para ser verdade, pois, quando se fala de dinheiro, estar seguro é a principal preocupação. Como confiar no aplicativo de banco? fila de banco evitada pelos aplicativos de bancos

Testes dos aplicativos de bancos

Apesar de parecer, a Internet não é livre de riscos. Se o usuário não estiver atento, pode ter dados sigilosos, como o número da conta, da agência e até mesmo o nome, obtidos por hackers.

Testes da Unicamp (Universidade de Campinas) feitos em dez aplicativos de bancos diferentes revelam que determinadas camadas de segurança estão comprometidas em todos eles, tanto nas versões para o sistema operacional Android quanto iOS. As fragilidades encontradas ocorrem na hora de verificar a autenticidade do certificado do servidor e quando o canal de transmissão é efetuado, principalmente nos aplicativos que se integram às redes sociais.

Como consequência, credenciais de autenticação, como agência, conta e senha, e dados financeiros, como número do cartão e saldo, podem ser expostos a usuários maliciosos. Além destas, um hacker pode se inserir entre a conexão do app com o banco e interceptar o acesso aos procedimentos realizados pelo cliente. Os motivos para a ineficácia podem ser explicados Mobile banking concept

Tecnologias antigas de segurança ainda serão completamente substituídas por formas recentes para se proteger, mas, mesmo assim, muitos aplicativos continuam a aceitar as versões anteriores.

A atualização do aplicativo de banco, que é tarefa do usuário, pode demorar ou nem acontecer, fazendo com que o suporte para o sistema antigo permaneça para conveniência do cliente. As instituições podem, ainda, ter outras camadas de segurança não estudadas na pesquisa.

Erros de segurança também podem acontecer nos apps de bancos. Um deles já sofreu punições judiciais devido à falhas que permitiram expor informações sigilosas de outros correntistas, e precisou interromper o funcionamento do serviço temporariamente.

Como os aplicativos de banco reagiram às falhas

Cercada de falhas, as instituições financeiras garantem que a segurança digital tem sido discutida e ampliada, após testes que expõem a fragilidade ou não dos protocolos, com diversos sistemas que são capazes de assegurar a confiabilidade do serviço via aplicativos.

Além disso, os bancos buscam oferecer ao usuário uma experiência de uso agradável e prática e, por este motivo, recorrem à integração com as redes sociais e mecanismos de proteção que não prejudiquem a usabilidade do aplicativo de banco. integração dos aplicativos de bancos com as redes sociais

Como se proteger nos aplicativos de bancos?

Ainda são muitas as desconfianças, mas usar o aplicativo do banco é mais seguro que utilizar a versão para o computador, já que as tecnologias para fragilizar o sistema on-line são mais comuns. Para que o cliente evite se expor a riscos que podem causar prejuízos no dispositivo e também financeiros, alguns cuidados simples podem ser, sim, de responsabilidade do próprio usuário.

Usar redes seguras

Na hora de acessar o aplicativo para realizar um serviço, a melhor opção é usar a própria rede WiFi, desde que ela seja protegida. Conexões públicas disponíveis em cafeterias e aeroportos podem ser perigosas. rede wifi segura para aplicativos de bancos

Baixar o aplicativo de banco oficial

É mais indicado baixar o aplicativo gratuito do banco na loja do sistema operacional correspondente ao invés de usar a versão on-line para dispositivos móveis. Na web, os riscos são maiores devido à quantidade de pragas existentes.

Realizar atualizações frequentemente

Devido às vulnerabilidades, os desenvolvedores estão sempre aprimorando e oferecendo novas versões dos aplicativos de bancos. Realizar a atualização é essencial, pois hackers costumam aproveitar as falhas antigas para chegar às informações do cliente. Manter o sistema operacional atualizado também é importante, pois a segurança tende a ser maior a cada novo lançamento.

Não utilizar app de banco em smartphones de terceiros

O uso de apps bancários deve ser feito no celular do próprio usuário e cliente. Mesmo dispositivos de pessoas próximas podem não ser confiáveis pois os aplicativos guardam os dados para acessos futuros.

Não armazenar informações no celular

O usuário precisa decorar inúmeras informações para cada aplicativo que possui e, por este motivo, costuma colocar senhas iguais ou anotar os dados no bloco de notas do smartphone. Essas atitudes comuns, numa situação de roubo ou furto, podem levar as informações a mãos erradas e revelar o que mais ninguém deveria saber.

Para não correr o risco de ficar sem celular, o seguro smartphone é essencial, já para não ficar sem dinheiro na conta ou perder informações importantes, não deixe de se precaver usando senhas diferentes e não deixando anotado no seu celular. bloco de notas aplicativos de bancos Reféns da praticidade e também dos aplicativos oferecidos pelas instituições financeiras, para o usuário e também cliente, a melhor opção é confiar na sua própria forma de utilizar os serviços. Por isso, devemos nos proteger para continuarmos longe das filas dos bancos. Seja bem mais protegido, seja Bem Mais Seguro!