1200x350

Entenda o contexto e o que vem por aí quando o assunto é uma internet mais rápida e acessível para todos

Com a promessa de ser até 100 vezes mais rápida que sua antecessora, a rede 5G também permitirá maior quantidade de dispositivos conectados simultaneamente.
Além disso, ela irá revolucionar a forma com que nos relacionamos com os objetos e com as outras tecnologias.
Tão poderosa que possui até a capacidade de abalar relações diplomáticas, o 5G ainda vai dar muito o que falar.
Entenda quais as suas vantagens, as disputas entre potências econômicas e qual a previsão de chegada por aqui.

 As vantagens da tecnologia 5G

2_apoio

A evolução das nossas redes acompanha as necessidades de cada geração. Enquanto a 2G foi desenvolvida para a voz, a 3G foi pensada para dados e a 4G para um fluxo maior de informações, como streaming e a transferência de arquivos.
No caso da 5G, o desafio ficou por conta de aumentar a capacidade de conexão para dispositivos simultâneos, já que a cada dia possuímos mais aparelhos com acesso a internet.
Esse aumento resolve problemas que ocorrem em grandes aglomerações, como shows e viradas de ano. Todos poderão se conectar sem mais maiores transtornos, o que não acontece atualmente.
Ela também promete ser de 50 a 100 vezes mais rápida que sua antecessora, além de consumir 90% menos energia, o que aumentará a vida útil e diminuirá o tamanho das baterias, trazendo benefícios ao meio ambiente.

1_apoio

A latência, tempo de resposta entre um comando e uma ação, será reduzida drasticamente, de 30ms para 5ms. Esse aspecto será extremamente vantajoso para carros autônomos e robôs em geral.
A internet das coisas é o termo que define a conexão em objetos físicos, tanto entre eles como entre usuários humanos. Parece ficção científica, mas com o 5G ela será finalmente possível.
A tecnologia viabilizará sistemas integrados de iluminação pública e privada, dispositivos de monitoramento e segurança, evoluções na área de sensores, caixas de lojas e supermercados.
Para a saúde, a modernização e agilidade será utilizada em detectar doenças, realizar transplantes e tratamentos de forma mais inteligente.
Em sua casa, será possível até mesmo configurar refrigeradores para avisar quando determinado item estiver acabando, regular a temperatura do ambiente e definir quais luzes deverão estar acesas ou apagadas.

 A disputa entre as potências

3_apoio

Lançada oficialmente em abril, a internet 5G já é utilizada por quase um milhão de pessoas na Coréia do Sul, país sempre pioneiro quando o assunto é tecnologia.
Por questões de limitações de infra estrutura, a potência da rede ainda não foi inteiramente conquistada e alguns usuários reclamaram da velocidade fornecida.
Enquanto isso, EUA e China parecem cada vez mais distantes de entrar em uma consenso sobre a implementação da tecnologia.
Com acusações de espionagem por parte do presidente Donald Trump, a Huawei (empresa chinesa que domina o 5G) foi impedida de dar prosseguimento às instalações das torres que forneceriam a rede ao país.
A União Europeia, maior parceira comercial dos EUA, também foi recomendada a fazer o mesmo. Ignorando a pressão, a Espanha instalou a rede em aproximadamente 15 cidades, incluindo Madri e Barcelona.
Outros países da europa, como Reino Unido e França ainda não definiram como irão prosseguir oficialmente, o segundo defendeu que não irá interferir caso as operadoras tenham interesse em implementar a tecnologia da empresa chinesa.

 A situação no Brasil

Embora as sanções de Trump em relação a Huawei possam atrasar a chegada da tecnologia em dois anos aos EUA e Europa, elas podem ser benéficas ao Brasil.
Isso porque sem poder atuar nesses países, a gigante chinesa pode mudar o foco para países emergentes, como o nosso. Sendo assim, a previsão de chegada é para o ano que vem.